terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Crónica de quem anda de muletas

É alarmante ver a desumanidade e alienação do Homem ao cruzar-se com um ser de muletas. Não reparam, não vêem, não querem saber, empurram, apitam e seguem o seu percurso frenético.

Ontem sentada no último andar do Centro Comercial Allegro conseguia ver a miscelânea de pessoas que se aglomeravam nas mesas da zona da restauração.

Vi adolescentes vestidas de mulheres. Casais que não conversavam. Crianças que gritavam porque não queriam x mas sim y. Famílias carregadas de sacos de compras a tentarem organizarem-se no caos para poderem jantar, etc.

Mas, também vi mulheres vestidas de igual, de cabeça baixa e em silêncio a tirarem tabuleiros das mesas, a tentarem organizar o que os outros desorganizaram, a fazerem o seu trabalho, a ouvirem gritos e a serem mal pagas. Vi que elas, mais do que eu, eram fantasmas nesta panóplia de pessoas.

Nem um obrigada, um olá ou um sorriso. Porque elas para eles não são nada.

3 comentários:

filipe_miguez disse...

é duro pensar como as coisas são...
bjs

anareis disse...

Estou fazendo uma Campanha de Natal para crianças necessitadas da minha comunidade carente,são crianças que não tem nada no Natal,as doações serão destinadas a compra de cestas básicas-roupas-calçados e brinquedos. Se cada um de nós doar-mos um pouquinho DEUS multiplicará em muitas crianças felizes. Se voce quiser ajudar é fácil,basta depositar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Voce verá como doar faz bem a Alma,obrigado. meu email asilvareis10@gmail.com

R. disse...

a discriminação social é cada vez mais uma dura realidade!