terça-feira, 19 de agosto de 2008

European Student Forum - Bruxelas

Qual é a probabilidade de um jovem nascido em Jerusalém ser palestiniano e cristão? E, uma jovem nascida em Jerusalém ser judia e cristã? Qual é a probabiliade de eles conviverem numa conferência no centro da Europa e se tornarem amigos?
Pois é, este é um dos exemplos da junção improvavel e intercultural que eu vivi em Bruxelas no mês passado.

Desde o 1º dia que percebi que todos os 60 participantes estavam na "mesma onda". Todos queriamos aprender e discutir ideias.

As palestras divididas em temâticas: lei, cultura, media, politica e economia, eram sempre lideradas por grandes profissionais na área. Tive o privilegio de ouvir e conversar com membros do parlamento europeu, membros politicos de partidos europeus, lideres de agencias internacionais contra a corrupção, orientadores de grupos de lobbing, directores de jornais reconhecidos mundialmente e economistas de topo.

Como dizia uma das organizadoras (nada mais do que Tove Videbaek, uma das politicas mais influentes na Dinamarca) nesta conferência estava "la creme de la creme".

Tudo o que foi assimilado nas palestras, mini-sessions e grupos de trabalho era profundamente discutido nos intervalos da conferencia por todos os seus participantes.

Provavelmente as temâticas mais debatidas foram a liberdade de expressão e o secularismo do Estado. Cada um dos 27 paises representados tinha algo a dizer e trazer a cada temâtica.

Foi muito interessante desenvolver conversas com jovens de países da ex união-sovietica e perceber a enorme vontade que eles têm de fazer parte da união europeia e, ao mesmo tempo, falar com ingleses e escandinavos que acham que a adesão à UE foi um dos maiores erros da politica externa dos seus politicos.

Mas o mais impressionante era assistir a conservadores, moderados e liberais conversando em harmonia e respeito mútuo. Afinal só tinhamos a ganhar ao ouvirmos outras perspectivas.

Foi uma experiencia gratificante. Sei que muitos do jovens que conheci nesta conferencia serão lideres de movimentos, politicos influentes, jornalistas éticos e economistas em áres pioneiras.

Senti-me profundamente privilegiada de estar no meio daquele grupo.

Mudei algumas das minhas perspectivas em relaçao algumas tematicas, reforcei outras e fiquei baralhada numas quantas.

E isso.... é muito bom! ;)


4 comentários:

Tiago Franco disse...

O lobbing não é pecado?

A Pris disse...

lol
claro q nao!
o bom lobbing é extremamente positivo.
Não acreditas em grupos de pressao para o bem comum?

Tiago Franco disse...

Não me quero armar em santinho, mas depende de como se exerce pressão. Só tenho isso a dizer.

De resto, esperar que uma ideia vingue só pelo seu valor intríseco é coisa do século passado. Há que remir a nossa opinião e, de seguida, torcer por ela.

joelforster disse...

Pri!!

Mola leer esta entrada, transmite la ilusión que se respiraba en Brussels.. "la mimsma onda".. yeah!

xiau!